André Gilberto Boelter Ribeiro


Textos, Artigos Públicados, Reportagens citadas, Fotos, entre outros assuntos.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

O USO DA ESTATÍSTICA NAS EMPRESAS BRASILEIRAS



1. INTRODUÇÃO

A sociedade muda constantemente, não sendo possível determinar o momento exato de quando essa mudança ocorre. A inserção de determinados instrumentos na vida cotidiana das pessoas reflete diretamente na maneira como elas se comportam socialmente, tendo em vista que é no âmago social que se constituem as preferências e as limitações de consumidor.

Não nos comunicamos apenas pela escrita; o conjunto de fatos sociais diz muito sobre a forma de pensar das pessoas, assim como as tradições e a cultura de um povo esclarecem muitos aspectos da sua forma de ver o mundo e de aproximar-se dele.

Então, a constatação de que os fatos sempre ocorrem dentro de um contexto determinado nos induzem a concluir que os consumidores ao preferirem algum produto tem um motivo e esses motivos podem ser desvendados com o uso de técnicas apropriadas. E é aí que a estatística consegue executar uma de suas finalidades em construir dados que possibilitem visualizar a realidade social.

2. CONCEITO DE ESTATÍSTICA

O que modernamente se conhece como estatística, “é um conjunto de técnicas e métodos de pesquisa que entre outros tópicos envolve o planejamento do experimento a ser realizado, a coleta qualificada dos dados, a inferência, o processamento, a análise e a disseminação das informações”. (ENCE, 2008, s/p).

A Estatística é um segmento da matemática aplicada surgida nas questões de estado e governo. Daí o nome Estatística ser originário do termo latino status. Situações ocasionais como número de habitantes, quantidade de óbitos e nascimentos, quantidades produzidas e quantitativos das riquezas formaram os primórdios dos problemas que deram início ao pensamento estatístico. (JUNIOR, 2001, p. 36).

A necessidade de expressar o grau de incerteza na ocorrência dos experimentos e de explicar o fato de duas experiências iguais poderem ter resultados diferentes leva ao reconhecimento da racionalidade probabilística em eventos da natureza.

Carvalho apud Souza (2001, p. 03) leciona que numa sociedade onde a informação faz cada vez mais parte do dia-a-dia da maioria das crianças, onde grandes quantidades de dados fazem parte da realidade quotidiana das sociedades ocidentais, importa que as crianças, desde logo, consigam coligir, organizar, descrever dados de forma a saberem interpretá-las e, com base nelas, tomarem decisões.

Com o desenvolvimento da própria estatística foi possível obter dados e analisá-los de forma mais eficaz, permitindo assim, o controle e o estudo adequando de fenômenos, fatos, eventos e ocorrências em diversas áreas do conhecimento. A estatística objetiva fornecer métodos e técnicas para lidarmos, racionalmente, com situações sujeitas a incertezas.


3 ESTATÍSTICA E A EMPRESA BRASILEIRA

Tendo em vista que na sociedade moderna instauraram-se novas exigências de leitura dos códigos e linguagens nos meios de comunicação e no cotidiano das organizações. Atualmente, quase todos os meios de comunicação, como jornais, revistas, rádio, televisão e Internet lançam mão de modelos estatísticos como gráficos, diagramas, pictogramas, tabelas e pesquisas para integrar e enriquecer seus conjuntos de informações a serem divulgadas para a população. E nesse time ainda está o sistema empresarial que se utiliza da estatística para gerirem seus atos comerciais.

A utilização da Estatística deve ser estudada por todo e qualquer profissional que queira ter lugar no mercado de trabalho para que tenha em suas características profissionais a capacidade de lidar com suas realidades. Assim ele ao construir estatisticamente passe por procurar fundamentar suas praticas com base numa seleção de indicadores mais ou menos sortidos de acordo com as conveniências do momento, alicerçando os objetivos de seus projetos de forma contextual.

Os bancos universitários devem inserir em seus conteúdos instrumentos estatísticos que venham a preparar os futuros profissionais para o mercado de trabalho, visto a importância do desenvolvimento do pensamento estatístico frente às necessidades de todas as áreas do conhecimento.

Atualmente os dados estatísticos são obtidos, classificados e armazenados em meio magnético e disponibilizados em diversos sistemas de informação acessíveis a pesquisadores, cidadãos e organizações empresariais que, por sua vez, podem utilizá-los para o desenvolvimento de suas atividades. A expansão no processo de obtenção, armazenamento e disseminação de informações estatísticas têm sido acompanhados pelo rápido desenvolvimento de novas técnicas e metodologias de análise de dados estatísticos. A tecnologia de informação se ocupa destes instrumentos.


4 CONCLUSÃO

O homem é linguagem pura, sendo que o entendimento se dá na linguagem. Para formar cidadãos participativos, é preciso levar em consideração a noção de conhecimento geral dos fatos sociais e não somente de alfabetização ou domínio da escrita. A formação do profissional que trabalhará nas empresas do futuro deve ser centrada numa perspectiva política, social e cultural, possibilitando uma leitura estatística do mundo, que compreende a leitura e a escrita de dados como produtos de uma prática social em processo, na qual o sujeito e a educação precedem a escolarização.

A sociedade evolui de tal forma que os fatos se sucedem diariamente, necessitando de atenção especial em todos os ramos. A atividade empresarial se depara com novas formas de relacionamentos, seja na gestão de seu RH, na própria situação concorrencial, nas mutações corporativas, etc. Por isso, é possível afirmar que a inserção de determinados mecanismos no cotidiano das pessoas refletem diretamente na gestão empresarial, que deve estar preparada para as transformações, necessitando assim uma corrente.


5 REFERÊNCIAS

ENCE. - Estatística. Disponível em: http://www.ence.ibge.gov.br/estatistica/default.asp. Acesso em: 10/12/2008.

JUNIOR, Helio Rosseti. Educação Estatística no ensino básico: uma exigência do mundo do trabalho. Disponível em: http://recitec.cefetes.br/artigo/documentos/Artigo%205.pdf. Acesso em: 09/11/2008.

SOUZA, Antonio Carlos. A construção de Idéias Estatísticas. Disponível em: www.alb.com.br /anais16/sem15dpf/sm15ss01_01.pdf. Acesso em: 11/12/2008.



5 comentários:

Suminski disse...

Ótimo trabalho amigo, utilizei o mesmo em meus estudos sobre estatística, claro mencionada sua fonte e autor.

Obs. O tópico 2 apresenta um erro de digitação " eta escrito estaística e não estatística".

2. CONCEITO DE ESTAÍSTICA

Abraços.

Amanda Aparecida Pereira disse...

Adorei! Foi de muita ajuda, realmente muito obrigada!

Abraço,

Amanda

Luiz V. de Q. Neto disse...

Amigo,
foi de muia utilidade essa sua postagem. Muito obrigado e bom trabalho. :)

Grato, LuizNeto

DiFreitas disse...

Gostei. utilizarei em meu portfólio acadêmico.

Anônimo disse...

Parabéns ótimo trabalho!!!! Utilizei em trabalho de estatística na mineração, com sua fonte e autor.